NOVIDADES

Dúvidas de gestão financeira mais comuns do MEI
25/03/2019

Dúvidas de gestão financeira mais comuns do MEI

Um Microempreendedor Individual (MEI) precisa investir em gestão financeira, mesmo que tenha um regime tributário diferente de outros empreendedores.

Por isso, é importante para o MEI sanar possíveis dúvidas sobre o assunto para controlar as finanças e evitar que seja desestimulado.

Quando o MEI não consegue manter o controle de suas finanças, acaba perdendo oportunidades importantes que iriam permitir que o mesmo se organizasse para projetar o crescimento do seu negócio.

Além de perder oportunidades, o MEI que não mantém uma boa gestão financeira também pode correr sérios riscos de contrair dívidas e quebrar a empresa antes mesmo de conseguir o retorno do investimento.

Para ajudar o MEI a evitar tais problemas, vamos falar mais sobre o assunto. Veja porquê é importante manter uma gestão financeira eficiente.

Veja por onde começar a gestão financeira do seu negócio

A gestão financeira deve começar antes mesmo que você formalize seu negócio. A formalização apenas se dá depois que o MEI fizer uma autoavaliação com o intuito de medir seu nível de conhecimento sobre finanças. O indicado é buscar apoio e capacitação, seja através de cursos ou até mesmo lendo sobre o assunto. Isso fará toda a diferença quando, lá na frente, seu negócio já estiver formalizado e atuando no mercado.

Após o estabelecimento da empresa, o MEI precisa ter a gestão financeira como uma rotina. Facilita muito manter uma planilha para controlar todas as entradas e saídas, mas é necessário que ela seja atualizada diariamente.

Para simplificar ainda mais a vida do MEI, ele pode utilizar as ferramentas online para fazer sua gestão financeira. Elas tornam a vida do empreendedor bem mais prática. Acesse nossos materiais gratuitos e aproveite!

O Microempreendedor Individual precisa ter uma conta bancária Pessoa Jurídica?

Vamos falar agora sobre uma dúvida que é muito comum na vida do MEI. Para que ele possa usufruir de todos os benefícios, como acesso ao crédito, e para que ele possa realizar movimentações bancárias de suas despesas e receitas, não é necessário abrir uma conta bancária Pessoa Jurídica.

Entretanto, se você deseja manter uma administração realmente eficiente, é de fundamental importância separar seu patrimônio pessoal do patrimônio da empresa.

Quem opta por usar sua conta pessoal para realizar movimentações do negócio tem muito mais dificuldade para gerenciar os valores que entram e saem do caixa da empresa. Por esse motivo, mesmo que não seja obrigado, é aconselhável que o MEI mantenha uma conta bancária Pessoa Jurídica para administrar de maneira mais eficiente as finanças de sua empresa.

Quando se tem uma conta onde encontram-se centralizadas todas as movimentações da empresa, fica muito mais fácil controlar os pagamentos de impostos e de despesas e também de fazer a soma das receitas.

Usando sua conta pessoal para movimentação financeira da empresa, o MEI corre o risco de não saber qual o real quadro da empresa, já que é bem possível que acabe pagando contas pessoais com o dinheiro da mesma e vice versa, portanto é importante tomar cuidado.

Veja como a gestão financeira pode influenciar as obrigações do MEI

Todos os anos, o MEI precisa enviar a Declaração Anual do Simples Nacional (DASN) para a Receita Federal. O prazo é até 31 de maio de cada ano.

Quando o empreendedor não possui a declaração, não consegue controlar suas finanças e encontra mais dificuldade para cumprir essas e outras obrigações legais do MEI.

Além da declaração anual, o Microempreendedor Individual também precisa preencher um relatório mensal de suas receitas brutas. Essa acaba sendo uma ferramenta importante para a entrega da Declaração Anual do Simples Nacional.

O Microempreendedor Individual precisa definir um valor para retirada mensal

Mesmo que o MEI mantenha suas finanças em contas separadas é necessário que seja estipulado um valor de retirada mensal, um salário, que permite ao empreendedor fazer o planejamento financeiro da empresa.

O valor para essa retirada mensal é calculado de acordo com os gastos pessoais do MEI, mas o fluxo de caixa do negócio também precisa ser levado em consideração.

Não controlar as finanças do negócio pode gerar prejuízos

Um dos maiores prejuízos que um MEI pode ter caso não cuide das finanças da sua empresa é ter que recorrer aos empréstimos bancários.

Essa, na maioria das vezes, não é uma boa opção, principalmente quando o objetivo do crédito é cobrir determinados furos no capital de giro.

Sem uma gestão financeira realmente efetiva, o MEI acaba fazendo empréstimos para cobrir despesas que não promovem retorno. Com as finanças controladas, o MEI não só evita contrair dívidas como fica livre para planejar e organizar o se negócio.

Conheça nossas linhas de crédito, e fique por dentro de todos as soluções e benefícios que a Credisol possui para ajudar a sua microempresa a crescer e se desenvolver rumo ao sucesso.

 

 

Não se esqueça, caso precisar de apoio financeiro para começar a investir no seu negócio, nossos agentes vão até você para juntos, encontrarem o crédito ideal para sua necessidade:

 

 

Faça uma simulação de crédito sem compromisso com o valor que você precisa:

 

Fechar
ATENÇÃO: Não solicitamos nenhum tipo de depósito antecipado para liberação ou análise do crédito. Aqui você será atendido pessoalmente por um Agente de Crédito.